banner site 720x380



OBJETIVOS     O EVENTO     PROGRAMAÇÃO     INSCRIÇÕES     INFORMAÇÕES ÚTEIS



 


O evento acontecerá no Campus Darcy Ribeiro, no auditório da Faculdade de Tecnologia (clique aqui para o mapa do local)

 

 PROGRAMA DO XI COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDLAD (clique aqui!)


CADERNO DE RESUMOS DO XI COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDLAD (clique aqui)

 

    

INFORMAÇÕES DE HOSPEDAGEM

Hostels

http://www.brazilian.hostelworld.com/Hostels

 

2 ESTRELAS

Bittar Inn Hotel [SHN, Quadra 2, Bloco N – a 3.4 km da UnB]:

http://www.hoteisbittar.com.br/hoteis/bittar_inn/index.php

3 ESTRELAS
Aracoara Hotel [SHN, Quadra 05, Bloco C - a 3.4 km da UnB]

http://www.aracoara.com.br/

Monumental Bittar [SHN, Quadra 3, Bloco B – a 3.4 km da UnB]

http://www.hoteisbittar.com.br/hoteis/monumental/index.php

Airam Brasília Hotel  [SHN, Quadra 05, Bloco A – a 3.7 km da UnB]:
http://www.airamhotel.com.br/
St. Paul Plaza  [SHS, Quadra 02, Bloco H – a 4.2 km da UnB]
http://www.plazabrasilia.com.br/stpaul.html

4 ESTRELAS

Bay Park Resort Hotel  [SHTN, Trecho 02, Conjunto 05 Projeto Orla Brasília – a 3 km da UnB]
http://www.baypark.com.br/
Metropolitan Flat  [SHN, Quadra 02, Bloco H – a 3.6 km da UnB]
http://migre.me/9YFtN

5 ESTRELAS
Kubitschek Plaza  [SHN, Quadra 02, Bloco E – a 3.7 km da UnB]
http://www.plazabrasilia.com.br/kubitschek.html
Hotel Nacional  [SHS - Quadra 01, Bloco A – a 4.2 Km da UnB]

http://www.hotelnacional.com.br/

 

 

ÔNIBUS EXECUTIVO DO AEROPORTO PARA O CENTRO E DO CENTRO PARA O AEROPORTO

 

[texto retirado de http://migre.me/am3LO]

 

A TCB (Sociedade de Transportes Coletivos Ltda.) opera a Linha Executiva Aeroporto, a linha número 113. O Circular liga o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek ao Setor Hoteleiro Norte e Sul. O itinerário é: Aeroporto, Esplanada dos Ministérios, Rodoviária do Plano Piloto, Setores Hoteleiros Norte e Sul, Aeroporto. O ônibus parte do Aeroporto entre 6h30 e 23h, com a frequência de partida de 30 minutos. O serviço é oferecido diariamente, inclusive aos sábados, domingos e feriados. 

 

 

INFORMAÇÕES DE ALIMENTAÇÃO NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

 

LANCHE

  • Módulo de Apoio e Serviços Comunitários (MASC) Central [funcionamento: 9h - 20h]
  • Café das Letras [funcionamento: 8h – 19h]
  • Posto BR: Loja de Conveniência [funcionamento: 6h - 23h]; Subway [funcionamento: 9h - 23h]; Spoleto [funcionamento: 11h - 23h]
  • Lanchonetes do ICC [funcionamento: 8h - 21h]

 

ALMOÇO 

  • Restaurante do Beijódromo [funcionamento: 11h30 - 15h]
  • Restaurante da Finatec [funcionamento: 11h30 - 15h]
  • Restaurante Universitário (RU) [funcionamento: 7h - 9h; 11h - 14h; 17h - 19h]
  • Restaurante Coisas da Terra (O Natural) [funcionamento 9h - 18h]
  • Restaurante Casa do Professor [funcionamento: 11h – 14h15]
  • Cantina Chico Mendes [funcionamento: 7h – 14h30]

 

REDLAD Mapa1 RU ICC

 

REDLAD Mapa2 RU MASC CP CL CCM

 

REDLAD Mapa3 Conveniencia

 

INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS

Para o acompanhamento do tempo dia a dia no mês de dezembro, clique aqui.

 

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS E CULTURAIS

turismo2COMPACTADA

 

MUSEU NACIONAL

[sobre o Museu: http://goo.gl/vp2IV3]

MEMORIAL DOS POVOS INDÍGENAS

[textos retirados/adaptados de http://goo.gl/3yirOG]

A diversidade da cultura indígena é retratada no Memorial dos Povos Indígenas, localizado na Praça do Buriti. O prédio tem forma espiral que lembra uma maloca (habitação indígena) típica das tribos Yanomami. No acervo do memorial, estão instrumentos musicais, móveis e arte produzidos por diferentes povos indígenas.

Visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 18h; sábado e domingo, das 9h às 17h.Entrada franca.

CCBB - CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL

[mais informações http://goo.gl/H53Yh7]

Informações úteis sobre o CCBB

O CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) disponibiliza ônibus gratuito, identificado com a marca do Centro Cultural, que funciona de terça a domingo com os seguintes locais e horários:

Teatro Nacional: 11h, 12h25, 13h50, 15h15, 16h40, 18h05, 19h30, 20h55, 22h.

Setor Hoteleiro Norte – Hotel Manhattan: 11h05, 12h30, 13h55, 15h20, 16h45, 18h10, 19h35, 21h, 22h05.

Setor Hoteleiro Sul - Hotel Nacional: 11h10, 12h35, 14h, 15h25, 16h50, 18h15, 19h40, 21h05, 22h10.

Biblioteca Nacional (Conjunto Cultural da República): 11h20, 12h45, 14h10, 15h35, 17h, 18h25, 19h50, 21h15, 22h20.

UnB Instituto de Artes: 11h30, 12h55, 14h20, 15h45, 17h10, 18h35, 20h, 21h25, 22h30.

UnB Biblioteca: 11h35, 13h, 14h25, 15h50, 17h15, 18h40, 20h05, 21h30, 22h35.

CCBB: 12h10, 13h35, 15h, 16h25, 17h50, 19h15, 20h40, 21h45, 22h45.


Bilheteria | Informações

(61) 3108-7600 | terça a domingo, das 9h às 21h

Cinema: Entrada Franca

Teatro: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia)

Salas de Exposições: Entrada Franca

  

PONTOS TURÍSTICOS DO EIXO MONUMENTAL DE BRASÍLIA

CATEDRAL

[Mais informações http://catedral.org.br/]

Os quatro evangelistas, João, Lucas, Marcos e Mateus, esculpidos por Alfredo Ceschiatti, posam frente à Catedral de Brasília. Do lado de dentro estão três anjos suspensos por cabos de aço, também de Ceschiatti. O formato da Catedral lembra a coroa de espinhos de Jesus, formada por 16 pilares que se unem no topo. Os vitrais da artista Marianne Peretti completam a cobertura. Pinturas de Di Cavalcanti e um painel de cerâmica Athos Bulcão tornam a estrutura ainda mais rica.

Visitação: segundas das 8 às 17h e de terça a domingo das 8 às 18h.

CONGRESSO NACIONAL

[texto retirado/adaptado de http://migre.me/am6AP]

O Senado Federal realiza, em parceria com a Câmara dos Deputados, um programa de visitas guiadas ao Palácio do Congresso Nacional. As visitas acontecem todos os dias, inclusive aos sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h, sem interrupções, com saídas de grupos a cada 30 minutos, a partir do Salão Negro. As visitas são gratuitas.

ATENÇÃO: Nos dias em que há trabalho parlamentar nas Casas, os Regimentos Internos não permitem a entrada de visitantes trajando shorts, bermudas, calças "Capri" ou "Corsário", camisetas sem mangas ou chinelos. Estas restrições não se aplicam a crianças menores de doze anos.

MEMORIAL JK

Museu em homenagem ao presidente Juscelino Kubitschek, que guarda importantes registros da criação e história da Capital Federal. As visitas acontecem de terça a domingo, das 9h às 18h. Os ingressos custam R$ 10,00 (Inteira) e R$ 5,00 (Meia-entrada).

[mais informações: http://migre.me/am7eI

TORRE DE TV

[texto retirado de http://goo.gl/ggz9wE]

A Torre de TV de Brasília foi projetada por Lúcio Costa e inaugurada em 1967. Com 224 metros de altura, a Torre pode ser vista de quase todos os pontos da cidade. A 75 metros de altura, seu mirante panorâmico tem capacidade para 150 pessoas e proporciona uma vista maravilhosa da Esplanada dos Ministérios e de quase toda a cidade. A Torre é o segundo ponto turístico mais visitado de Brasília e, além da vista, tem como principal atração a tradicional feira de artesanato da Capital. Na feira de artesanatos há diversos produtos como vestuário, bijuterias, artigos de decoração, além de lembranças da Capital. A praça de alimentação é uma boa alternativa para quem gosta de comidas típicas do Brasil, principalmente do norte e nordeste do país. 

O mirante panorâmico abre diariamente, das 9h às 18h. A subida é gratuita.
A Feira de Artesanato funciona aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 18h.

PALÁCIO DA ALVORADA (RESIDÊNCIA PRESIDENCIAL)

[texto retirado de http://migre.me/am2Yp]

Aberta ao público em geral às quartas-feiras, das 15h às 17h. São formados grupos com 30 pessoas, por ordem de chegada, que assistem a um vídeo institucional de 9 minutos, explicando a restauração realizada de dezembro de 2004 a março de 2006, mostrando a cozinha, o auditório e outras dependências que não estão no roteiro da visita. Após o vídeo, o profissional de Relações Públicas acompanha o grupo, explicando a estrutura arquitetônica do Palácio da Alvorada, seu conteúdo histórico e as obras de arte que compõe a ambientação. A duração das explanações é de, aproximadamente, 40 minutos.

PALÁCIO DO ITAMARATY

[texto retirado/adaptado de http://goo.gl/ZImIUm]

Projetado por Oscar Niemeyer e inaugurado em 1970, o Palácio Itamaraty é a sede do Ministério das Relações Exteriores. Durante a concepção do projeto, coube ao Embaixador Wladimir Murtinho transmitir ao arquiteto as necessidades que precisariam ser atendidas, a parceria tão bem sucedida que, até hoje, não foi necessário fazer qualquer modificação estrutural no edifício. O cálculo estrutural, que permitiu a realização de impressionante vão-livre, foi realizado pelo engenheiro Joaquim Cardoso.

O Palácio Itamaraty foi concebido como edifício que serviria ao propósito de apresentar o Brasil aos visitantes estrangeiros e, portanto, foi construído apenas com materiais nacionais e seus salões abrigam obras apenas de artistas nascidos ou naturalizados brasileiros – como Athos Bulcão, Alfredo Volpi, Bruno Giorgi, Frans Krajcberg, Franz Weissmann, Maria Martins, Mary Vieira, Iberê Camargo, Ione Saldanha, Rubem Valentim, Sérgio de Camargo e Tomie Ohtake. O paisagismo é autoria de Roberto Burle Marx.
 

PALÁCIO DA JUSTIÇA

[Texto retirado/adaptado de http://goo.gl/2ONirq]

Outra obra de Niemeyer, o Palácio da Justiça lembra a arquitetura do Itamaraty, por causa dos seus arcos. Além do espelho d’água, cascatas artificiais correm por calhas de concreto e são a atração da fachada principal. Atualmente, é conhecido como Palácio Raimundo Faoro

Local: Esplanada dos Ministérios
Visitação: segunda a sexta-feira, das 9 às 11h e das 15 às 17h
Telefone: (61) 2025-3587

PALÁCIO DO PLANALTO (GABINETE PRESIDENCIAL)

Aberto ao público em geral aos domingos, das 9h30 às 14h. São formados grupos de 30 pessoas, por ordem de chegada, que são acompanhados por um funcionário de Relações Públicas que explica a estrutura arquitetônica do Planalto, seu conteúdo histórico e as obras de arte que compõe a ambientação do Palácio.

[Mais sobre turismo em Brasília: http://goo.gl/77v6xG]

 

 banner site 720x380



OBJETIVOS     O EVENTO     PROGRAMAÇÃO     INSCRIÇÕES     INFORMAÇÕES ÚTEIS



 

 

INSCRIÇÕES

 

 

 

O evento acontecerá no Campus Darcy Ribeiro, no auditório da Faculdade de Tecnologia (clique aqui para o mapa do local)

 

 

 PROGRAMA DO XI COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDLAD (clique aqui!)

 


CADERNO DE RESUMOS DO XI COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDLAD (clique aqui)

 

 

O evento é livre e gratuito, mediante inscrição prévia. 

As inscrições de resumos para apresentações de trabalhos já foram encerradas, mas ainda recebemos inscrições de participantes sem apresentação de trabalhos. As inscrições estarão abertas até o limite das vagas disponíveis.

Para acessar o formulário de inscrição, clique aqui.

 

 

 banner site 720x380



OBJETIVOS     O EVENTO     PROGRAMAÇÃO     INSCRIÇÕES     INFORMAÇÕES ÚTEIS



 

O EVENTO

 

O XI Colóquio Internacional da REDLAD está previsto para acontecer, nos dias 5, 6 e 7 de dezembro de 2016, em Brasília, conforme deliberação da assembleia realizada em 10 de novembro de 2015, na Universidad de Buenos Aires, no âmbito do X Colóquio Internacional da REDLAD. O tema do Colóquio será: “Discursos, violação de direitos e mobilização social”.

O Colóquio acontecerá na Universidade de Brasília, por meio do Instituto de Letras (IL) – Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas (LIP), Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGL) e Laboratório de Estudos Críticos do Discurso (LabEC) – e do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (CEAM) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional (PPGDSCI) e Núcleo de Estudos de Linguagem e Sociedade (NELiS). Conta ainda com apoio institucional da Faculdade UnB Planaltina (FUP/UnB), do Mestrado Profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais (MESPT/UnB), do Instituto Federal de Brasília (IFB) e do Centro Universitário de Brasília (UniCEUB).

O XI Colóquio Internacional da REDLAD será um fórum de discussão e de divulgação de pesquisas discursivas sobre a pobreza, propondo um espaço para o diálogo entre a comunidade acadêmica de diferentes países, membros de movimentos sociais e a sociedade de modo mais amplo. Por isso, caracteriza-se também como um evento de extensão universitária. Na ocasião esses diferentes atores sociais poderão compartilhar suas experiências e, dessa forma, trocar ideias e construir conjuntamente soluções para ampliar a compreensão acerca do eixo temático discurso e pobreza. Compartilhando os princípios da livre circulação do saber e visando favorecer amplo acesso, a participação no evento será livre e gratuita, mediante registro prévio.

 
O evento acontecerá no Campus Darcy Ribeiro, no auditório da Faculdade de Tecnologia (clique aqui para o mapa do local)

PROGRAMA DO XI COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDLAD (clique aqui!)

CADERNO DE RESUMOS DO XI COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDLAD (clique aqui)

 

DATAS E PRAZOS

 

 

Períodos

Atividades

Agosto de 2016

Convocatória para participação no evento

20 de agosto a

20 de setembro de 2016

Recebimento de resumos

20 de setembro a

20 de outubro de 2016

Avaliação dos resumos pela Comissão Científica

20 de outubro a

30 de outubro de 2016

Envio das cartas de aceite às\aos participantes com trabalhos aprovados

Novembro de 2016

Publicação da agenda final do evento

5, 6 e 7 de Dezembro de 2016

Realização do Colóquio

Junho de 2017

Publicação de volume especial dos Cadernos de Linguagem e Sociedade (Papers on Language and Society) com textos selecionados entre as comunicações apresentadas no Colóquio.

Julho de 2017

Publicação de livro com textos selecionados entre as conferências e palestras apresentadas no Colóquio.

 

 

 

Histórico

No ano de 2001, a Profa. Dra. María Laura Pardo (Universidad de Buenos Aires) iniciou um projeto em seu país sobre discurso e pessoas em situação de rua. A pesquisa começou a ser desenvolvida no âmbito do Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET) da Argentina, e em 2003 foi ampliado para a Pontifícia Universidad Católica de Chile.

Em 2005, em assembleia celebrada no âmbito do III Congresso da Associação Latino-Americana de Estudos do Discurso (ALED), a proposta se estendeu por outros países da América Latina, sendo fundada, na ocasião, a Rede Latino-Americana de Análise de Discurso Crítica sobre a Pobreza (REDLAD). Desde então, o grupo de pesquisadores/as aumentou significativamente, o que permitiu à REDLAD subscrever uma Agenda de Cooperação entre o Centro de Investigaciones en Antropología Filosófica y Cultural (CIAFIC), pertencente ao Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET), ambas instituições representadas pela professora Dra. María Laura Pardo; a Universidade de Brasília (UnB), representada pela professora Dra. Denize Elena García da Silva e pela professora Dra. Viviane de Melo Resende; a Pontifícia Universidad Católica de Chile (PUC-Santiago), representada pelo professor Dr. Lésmer Montecino; o Instituto de Estudios en Comunicación y Cultura (IECO), da Universidad Nacional de Colombia, representada pela professora Dra. Neyla Graciela Pardo Abril; a Universidad de Puerto Rico, representada pela professora Dra. Doris Martinez; a Universidad Nacional Experimental Sur Del Lago, representada pela professora MsC. Lilia Ramirez.

No ano de 2006, realizou-se o I Colóquio Internacional da REDLAD em Buenos Aires (Argentina). Em 2007, o II Colóquio foi celebrado em Bogotá (Colômbia). Em 2008, o III Colóquio realizou-se em Santiago (Chile). Em 2009, foi realizado o IV Colóquio da rede, na cidade de Mar del Plata (Argentina). Em 2010, a Universidade de Campinas (Brasil) foi a sede do V Colóquio. Em 2011, o VI Colóquio foi celebrado em Bogotá (Colômbia). Em 2012, o VII Colóquio foi realizado em Brasília (Brasil). Em 2013, realizou-se o VIII Colóquio na Cidade do México. Em 2014, o IX Colóquio foi sediado em Santiago do Chile. Em 2015, com a celebração dos dez anos de trabalho ininterrupto da REDLAD, seu X Colóquio voltou a ser realizado em Buenos Aires, onde se decidiu que a realização do XI Colóquio Internacional da REDLAD ficaria a cargo da Universidade de Brasília.

Assim, em 2016 o XI Colóquio Internacional da REDLAD será realizado na Universidade de Brasília, possibilitando o encontro presencial do grupo latino-americano, cuja pauta tem sido balizada pelo firme propósito de ampliar estratégias de cooperação científica e de formação de novos/as pesquisadores/as, estudantes de graduação (iniciação científica) e de pós-graduação (tanto em nível de mestrado como de doutorado) envolvidos/as nos projetos.

Investigadores/as formados/as, atuantes e reconhecidos/as em seus países, e estudantes agem como multiplicadores/as de linhas de ação, entre as quais se destacam a socialização e a divulgação das pesquisas levadas a cabo, o que se tem materializado em publicações de livros, volumes monográficos de periódicos internacionais e artigos publicados em revistas científicas. Entre as publicações que constituem resultados das pesquisas desenvolvidas no âmbito da REDLAD, cabe destacar: o número monográfico da revista Discurso & Sociedad, vol. 2(2), 2007; o livro organizado por Pardo, M. L, El discurso sobre la pobreza en América Latina, 2008; o livro de Pardo Abril, N. ¿Qué nos dicen? ¿Qué vemos? ¿Qué es… pobreza? Análisis Crítico de los medios, 2008; o volume 11(1) do periódico Cadernos de Linguagem e Sociedade (Papers on Language and Society), organizado por Silva, D., 2010; o livro organizado por Montecino, L. Discurso, pobreza y exclusión en América Latina, 2010; o volume monográfico “Critical and cultural discourse analysis from a Latin American Perspective” do periódico Journal of Multicultural Discourses, vol. 5(3), 2010; o livro Teoría y metodología de la investigación lingüística : método sincrónico-diacrónico de análisis lingüísticos de textos, de Pardo, M. L.; o livro Embarazo, adolescencia y violencia intrafamiliar en contextos de pobreza: análisis crítico del discurso en historias de vida, de Vega, L.; o livro El texto como unidad de análisis socio-discursiva: una propuesta a partir del método sincrónico-diacrónico de análisis lingüístico de textos, de Marchese, M.; o livro La argumentación en las noticias, de Molina, L.; o livro de Pardo, N. Discurso en la web: pobreza em Youtube, 2012; o volume monográfico dos Cadernos de Linguagem e Sociedade (2013, esp.), organizado por Resende, V.; o livro La sociedade, la comunicación y sus discursos, 2015, organizado por Pardo, N.; o livro Víctimas, memoria y justicia: aproximaciones interdisciplinares, 2016, organizado por Pardo, N., além de monografias, dissertações e teses, já defendidas e em andamento, em todos os países membros.

 

 

COMISSÃO ORGANIZADORA

 

Dra. Viviane de Melo Resende | Dra. Viviane Cristina Vieira | Dra. Denize Elena Garcia da Silva | Dra. Carolina Lopes Araújo | Dra. Aline Sapiezinskas | Msc. Gersiney Pablo Santos Msc. María del Pilar Tobar Acosta

 

COMISSÃO CIENTÍFICA

 

Dra. Beatriz Maria Eckert-Hoff (UDF) | Dra. Carina Aparecida Lima (IFT) | Dra. Dulce Elena Coelho de Barros (UEM) | Dra. Elaine Fernandes Mateus (UEL) | Dra. Francisca Cordélia Oliveira (UnB) | Dr. Guilherme Veiga Rios (UnB) | Dra. Izabel Magalhães (UFC) | Dra. Juliana de Freitas Dias (UnB) | Dr. Laerte Magalhães (UFPI) | Dra. Maria Aparecida Ottoni (UFU) | Dra. Maria Carmen Aires Gomes (UFV) | Dra. Maria Cecília de Lima (UFU) | Dra. Solange Maria de Barros (UFMT)

 

COMISSÃO DE COMUNICAÇÃO

 

Msc. Sinara Bertholdo | Msc. Chislene Cardoso | Msc. Emmanuel Rodrigues | Msc. Gersiney Pablo Santos | Thaiza Carvalho |

 

COMISSÃO DE APOIO

 

Msc. Jacqueline Régis | Msc. Carolina Gonzalez | Msc. Alley C. Júnior | Edilan Kelma Sousa | Luana Félix | Mariana Moura | Ingrid Ramalho

 

REALIZAÇÃO

 

Rede Latino-Americana de Análise de Discurso Crítica sobre a Pobreza Extrema – diretório brasileiro (REDLAD – Brasil) | Núcleo de Estudos de Linguagem e Sociedade – Universidade de Brasília (NELiS/UnB) | Laboratório de Estudos Críticos do Discurso (LabEC/UnB) | Grupo Brasileiro de Estudos de Discurso, Pobreza e Identidades – Rede Latino-Americana

 

APOIO INSTITUCIONAL

 

Instituto de Letras: Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas (LIP/UnB),Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGL/UnB) | Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (CEAM/UnB): Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional (PPGDSCI/UnB) | Faculdade UnB Planaltina (FUP/UnB) | Mestrado Profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais (MESPT/UnB) |Instituto Federal de Brasília Campus São Sebastião (IFB) | Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) | Centro Universitário do Distrito Federal (UDF)

 

 

APOIO

 

CAPES | FAP-DF | FINATEC

 

 

 

 

 banner site 720x380



OBJETIVOS     O EVENTO     PROGRAMAÇÃO     INSCRIÇÕES     INFORMAÇÕES ÚTEIS



 PROGRAMAÇÃO

 

A programação do XI Colóquio Internacional da REDLAD organiza-se em conferências, mesas plenárias, conversatórios, sessões de comunicações, exposição de pôsteres e lançamento de livros dos/as participantes.

Essa estrutura de trabalho tem-se mostrado, nas edições anteriores dos colóquios internacionais da REDLAD, uma organização eficiente para o debate qualificado dos projetos em andamento, tendo em vista que todas as sessões são plenárias. Uma consequência disso é que o colóquio da REDLAD é um evento pequeno, já que não há sessões simultâneas: trata-se de um colóquio, não de um congresso.

A programação do XI Colóquio Internacional da REDLAD inclui convidadas/os confirmadas/os de Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, República Dominicana e Venezuela.

 

  


O evento acontecerá no Campus Darcy Ribeiro, no auditório da Faculdade de Tecnologia (clique aqui para o mapa do local)

 

PROGRAMA DO XI COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDLAD (clique aqui!)

 

CADERNO DE RESUMOS DO XI COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDLAD (clique aqui)

 

 

Convidadas/os confirmadas/os:

 

Coletivo Ceilândia (Alessandro Tatagiba, Francildes Colombo de Souza, Hernandes da Silva Castelo, Jefferso da Silva Alves (Dj Jamaika), Saphira Pereira Alves, Raquel Tushiyyah, Ravier Hernandez)

 

Ação em Cena Planaltina (Cristiano Henrique Martins)

 

Campanha Liberdade para Rafael Braga (Adriana Braga, Fábio Campos, Leonardo Souza)

 

Coordenação do Movimento Nacional da População em Situação de Rua no Distrito Federal (Mairla Feitosa)

 

Coordenação do Movimento Nacional da População em Situação de Rua na Bahia (Maria Lucia Santos)

Proyecto Siete Buenos Aires (Horácio Avila)

Secretaria Especial de Direitos Humanos (Carlos Ricardo)

 

Camila Prando

Universidade de Brasília

Glaucia Muniz Proença Lara

Universidade Federal de Minas Gerais

Ida Lúcia Machado

Universidade Federal de Minas Gerais

Izabel Magalhães

Universidade Federal do Ceará

Juan Ruiz

Universidad de Buenos Aires

Laerte Magalhães

Universidade Federal do Piauí

Laura Pardo

Universidad de Buenos Aires

Leda Berardi

Universidad Católica de Chile

Lésmer Montecino Soto

Universidad Católica de Chile

Lilia Ramírez

Universidad Nacional Experimental Sur del Lago

Lucía Molina

Universidad de Buenos Aires

Maria Carmen Gomes

Universidade Federal de Viçosa

Marina Aybar

Universidad Autónoma de Santo Domingo

Neyla Pardo Abril

Universidad Nacional de Colômbia

Rosimeire Barboza da Silva

Universidade de Coimbra

Solange Maria de Barros

Universidade Federal de Mato Grosso

Teresa Oteíza

Universidad Católica de Chile

Wanderson Flor do Nascimento

Universidade de Brasília

 

  banner site 720x380



OBJETIVOS     O EVENTO     PROGRAMAÇÃO     INSCRIÇÕES     INFORMAÇÕES ÚTEIS



 

 

OBJETIVOS

 

  • Fortalecer a rede de pesquisadores/as latino-americanos/as já constituída no âmbito da Rede Latino-Americana de Análise de Discurso Crítica sobre a Pobreza– REDLAD.

  • Construir espaços acadêmicos interdisciplinares que contribuam para o estudo e a explanação crítica de processos de exclusão e resistência articulados ao tema da pobreza na América Latina.

  • Fortalecer espaços de diálogo acadêmico que favoreçam formas de construção e apropriação de conhecimento, conduzindo ao desvelamento crítico de processos sociais fundamentais na América Latina, na perspectiva das implicações derivadas de processos de vulnerabilidade relacionados à pobreza.

  • Debater formas de resistência aos processos de exclusão social, notadamente aquelas associadas à mobilização da sociedade na luta pela garantia de direitos sociais.

  • Garantir formas de participação e diálogo entre pesquisadores/as latino-americanos/as comprometidos/as com os estudos críticos do discurso sobre formas de vulnerabilidade, especialmente aquelas associadas a contextos de pobreza na América Latina, nos campos das ciências humanas e sociais, e em espaços interdisciplinares.

 

Visitantes Online

Temos 111 visitantes e Nenhum membro online